Que es SUNSET QUALITY y como surgió



Muchas personas me preguntan el motivo del nombre y como surgió la idea y a modo de querer hacerles saber acá les cuento mi historia....

Hace 10 ãnos atrás en una reunión de amigos en el que estábamos disfrutando de un momento ameno de alegría, surgió la idea de experimentar en preparar una bebida que sea de nuestro agrado y que cause una sensación única y placentera , pero por motivos de falta de ingredientes tuvimos que imporovisar, el resultado por casualidad fue extraordinario, un gusto increíble y una calidad impensable, con su mezcla de colores y consistencia en un tono anaranjado como un atardecer, decidimos darle el nombre de SUNSET fue así que después al tener gran aceptación en nuestro entorno de amigos, percibí que lo importante no era como llegar al resultado sino tener en claro que es lo quieres y mientras tanto disfrutarlo, con el incentivante que es estar rodeado y acompañado  de gente que querés, porque a pesar de no contar con los elementos que creíamos necesitar para preparar esa bebida tan maravillosa, nuestra intención nunca se desvaneció, queríamos preparar algo rico y lo conseguimos.
Fue así que el nombre Sunset tuvo otra connotación y su traducción al español, “Atardecer” tiene un matiz simbólico considerado en varias culturas y civilizaciones al "atardecer"como una representación del final del día, como aquel momento en el que uno realiza un balance de como fue su jornada, vino a mi cabeza la cantidad de increíbles atardeceres que he vivenciado en diferentes partes del mundo con paisajes increíbles y acompañados de personas muy significante en mi vida, y esa sensación déjenme contarle, esa sensación no tiene comparación alguna, esa mezcla de paz, alegría, éxtasis, ese sentimiento de que se congela  el tiempo y que solo sentís que hay un aquí y un ahora, esa fue la sensación que quería ofrecer, esos eran los resultados que quería que experimenten todas las personas, quería compartirlo, y sólo quien sabe de lo que estoy hablando sabe a lo que me refiero.
Como mi formación  académica y profesional tiene que ver con la calidad de vida y con el crecimiento personal, consideré que eran los medios y recursos que podía ofrecer para tal fin obviamente  y percibí de que hay mucho por saber en ese campo, y que bueno que así sea!
Por suerte  la misma vida durante los diferente lugares que he vivido me ha puesto en el camino expertos conocedores de diferentes áreas que se relaciona con calidad de vida y con recursos y técnicas interesantísimas para ser compartida , en donde la sumatoria de todo eso forma una sinergia con un poder insólito que sirve de manera comprobada y otorga  esos resultados que vos estás buscando, y que mejor que combinar los mejores talentos para ponerlos a tu disposición
Así como rodeado de gente que quiero logramos un resultado fantástico con la bebida que preparamos y al mismo tiempo se grabó en nuestro inconsciente una experiencia maravillosa. esa es la misma manera en la que quiero trabajar, rodeado de circunstancia y de personas en en la que juntos podamos darte ese resultado de calidad, esa sensación de atardecer en la que te sentís bien con vos mismo por haber llegado al final del día y te sentís satisfecho con vos mismos. Ese es el  SUNSET QUALITY que quiero para vos…

Vive cada acción con pasión...


Experiencia Playfulness, Spa & Resort

Una opción de fin de semana para salir de la rutina, para hacer algo diferente para reencontrarse con vos, ese “vos” del que gustas, te invitamos a vivir una experiencia de relax de actividades de juegos, de descubrir o redescubrir tu lado creativo tu lado artístico, recuerda que nunca podrías resolver un problema con la misma mente que lo creo, te proponemos divertirte haciendo y jugando, te ofrecemos experiencias como crear tu propia comida, un taller de canto y de expresión corporal, clases de pilates, pintar un mural colectivo, conocer otras personas interesantes, fogón nocturno, con guitarra con aventura, workshops de canto y actividades al aire libre

Volver a ser un niño y recordá todas experiencias positiva que tenias, recordá como veías la vida de una forma más simple y como se solucionaban los problemas de un momento para el otro, como pasabas del llanto a la risa en cuestión de segundos, como veias “cuando yo sea grande voy a…” de una forma y tan positiva y llena de esperanza.Te pregunto y por favor respóndeme con honestidad ahora que ya sos grande, le cumpliste el sueño a tu “Vos” de la infancia, o sentís que le fallaste, si así no importa porque con esta Experiencia Playfullnes y con todos los profesionales que contamos lleno de entusiasmo y compromiso, vas ver y crear esa sensación nuevamente,

A todos nos gusta tener una segunda oportunidad y esa oportunidad es ahora, te garantizo que no vas a arrepentirte y si no es lo que te gusta o lo que esperabas te devolvemos el dinero de tu inversión,

El único riesgo es perderte esta posibilidad y no hacer nada, la decisión está en vos!

Te mando un cálido Abrazo,










7 Factores de como protegerse del sobrepeso

Tener sobrepeso aumenta el riesgo de desarrollar enfermedad cardíaca y diabetes. El diagnóstico de sobrepeso y obesidad por lo general comienza con la determinación del Índice de masa corporal (IMC). Si su IMC está entre 25 y 30 se consideran generalmente a sufrir de sobrepeso; Si el IMC es superior a 30 será clasificados como obesos.
La relación entre la medida de la cintura a la cadera también se utiliza para determinar el riesgo de enfermedades relacionadas con la obesidad. Si llevas la mayor parte de su peso en el área de la cintura que corren un mayor riesgo de enfermedad. Distribución de la grasa se define a menudo como forma de manzana o forma de pera
De todas maneras la mayoría de las circunstancias en las que uno desarrolla "Sobrepeso" es por una consecuencia de hábitos, la sumatoria de nuestras acciones son las que determinan en que situación me encuentro ahora bien, de acuerdo a varias investigaciones realizadas estos son las 7 maneras para se proteger contra  el sobrepeso que es bueno saberlo para poder incoporarlo en su dia a dia
1- Organizar las comidas

 Tal vez sea uno de los factores más importantes, porque independientemente de lo que uno coma, organizarse con lo que uno va a comer y armar un cronograma de las diferentes comidas que va a tener durante el dia es una forma de control ya que así delimito cuales son los horarios que voy a comer evitando el "picotear algo" fuera de hora y de esa forma definir con exactitud las cantidades, 
2- Controlar las porciones

Una vez organizado ya está el factor cuanto como, de esa forma lo que veo que está en el plato es lo que define la cantidad, tan simple así lo que veo es lo que consumo, más cantidad, más calorias, ahora vos elegís
3-Sedentarismo o falta de actividad física

Existe un factor altamente importante y complementario practicamente inherente al buen funcionamento del organismo, porque el hacer actividad física no solo ayuda a gastar más calorías, sino también regula el metabolismo de manera positiva, mejora el estado de ánimo, aumenta la predisposición a afrontar desafíos y también estimula la confianza en uno mismo y en sus capacidades y destrezas, es decir, que la falta de actividad física, o sea, el sedentarismo repercute no solo en la acumulación de calorías en el cuerpo sino que también me perjudica en todos los aspectos mencionados anteriormente
4-Crear una imagen positiva de uno mismo

Independientemente de lo que uno haga, hasta que no defina la imagen que uno tiene de si mismo, nunca va a conseguir disminuir su sobrepeso, hasta que uno deje de tener en su inconsciente su imagen de "gordito/a" nunca va poder hacer nada al respecto, ya que su inconsciente tiene una tendencia a que tus acciones coincidan a ser congruente con la imagen que tienes de ti mismo. Define una imagen positiva de ti, asumela como verdadera, tu inconsciente lo creerá y tus acciones haran que te muevas en base a eso.
5-Cuidar el consumo de grasas malas y azucares simples

Considerando que el que comer  ya especificando en la calidad de los alimentos, no existe peor cosa que pueda perjudicar tu alimentación que  inegerir, aquellas grasas trans o saturadas o  las azucares simples que las encontramos (en alimentos de elaboración industrial, en productos de panificación, en golosinas, en gaseosas, en comidas cocinadas con mucho aceite, en frituras, etc) no solo favorece a que aumentes de peso, sino que también puede perjudicar en gran medida tu salud
6-Ser determinado A veces no basta solo con quererlo

El tener un deseo, o el querer uno cosa, es solamente eso, una idea de algo que me gustaría para mi, pero dificilmente es algo que se concreta, solo cuando existe la determinación en tus acciones, cuando existe disciplina y voluntad, es cuando tus anhelos cobran fuerza y  se vuelven realidad, entonces si quieres algo, define lo que quieres y actúa con determinación, pensando realmente porque quieres cambiar, que te motiva, que quieres superar, Hacer lo que tienes que hacer cuando lo tengas que hacer, tengas ganas o no.
7-Tener un plan

Ya existe el deseo, la voluntad, el motivo, las herramientas, ya se cuando y cuanto comer, ya definí una imagen positiva de mi mismo, ahora bien como lo hago, cual es mi estrategia, trazar un plan es imprescindible, no preciso hacerlo por mi cuenta, la mayoría de las veces es recomendable la ayuda profesional, como voy a lograr bajar de peso es un conjunto de acciones definidas en mi día a día para concretar mis objetivos, así como un arquitecto primero dibuja un plano antes de construir un edificio, con el cuerpo pasa lo mismo, diseñar un plan de acción para construir el cuerpo que quieras.

Y recuerda cada acción vívela con pasión!

Un fuerte abrazo...

Matias Bertonatti

Al ritmo del corazón: Los beneficios de la percusión

La música nos acompaña desde los primeros instantes de nuestra vida. El primer sonido rítmico que escucha un niño es el corazón de mamá, cuando aún aguarda en el interior de su vientre. El compás de sus latidos forma el ritmo de la vida.
Cuando ya han nacido, y desde muy pequeños, a los niños les entusiasman los sonidos que son capaces de crear cuando tocan cualquier superficie sus brazos y sus manos y cualquier objeto es perfecto como baquetas para ofrecernos toda una sesión digna de los mejores baterías. Y es que la percusión es la forma de música más primitiva y la que surge de nosotros de forma más natural e instintiva.
Desde chocar dos objetos hasta conseguir tocar un instrumento musical, los beneficios de la percusión son innumerables. Los primeros, cuando son más pequeños, es el movimiento vertical del brazo y la intensidad del golpe, aprendiendo que pueden golpear más fuerte o más suave. Por supuesto, el más evidente es la capacidad de coordinación, que alcanza un   gran nivel de perfección cuando los niños son más mayores y aprenden a tocar la batería, ya que requiere del movimiento acompasado de brazos y pies para hacer sonar el bombo y los platillos.
La percusión también estimula la atención y la concentración y ejercita la memoria, al tener que ser capaces de reproducir diferentes ritmos y escalas en distintas frases musicales. El esfuerzo y la paciencia son también imprescindibles cuando se quiere tocar bien un instrumento, e incluso simplemente para lograr que una base suene bien o reproducir un compás más sencillo.
A través de cualquier instrumento de percusión los niños canalizan el estrés y consiguen relajarse, logran transmitir sus sentimientos sin palabras, de una forma abierta y natural, y dejan volar su creatividad y su imaginación. La repetición y el ensayo de una misma estructura fomenta el desarrollo de esquemas mentales y la improvisación agiliza la rapidez mental y fomenta la iniciativa.
La percusión es una gran herramienta de aprendizaje, un juego divertido, un canal de comunicación. La música que los niños son capaces de crear desde el fondo del corazón.

Fonte http://www.lapuertapequena.com


IMPORTANCIA DE LA EXPRESION CORPORAL

Se dice que en el ser humano, el cuerpo es el instrumento de expresión y comunicación por excelencia. Utiliza como recursos expresivos al gesto y al movimiento. El gesto es necesario para la expresión y la comunicación y el movimiento es la base que permite al niño desarrollar sus capacidades intelectuales, su bienestar físico y emocional.

La expresión corporal es una actividad que desarrolla la sensibilidad, la imaginación, la creatividad, y la comunicación humana. Es un lenguaje por medio del cual el individuo puede sentirse, percibirse, conocerse y manifestarse. La práctica de la expresión corporal proporciona un verdadero placer por el descubrimiento del cuerpo en movimiento y la seguridad de su dominio.

El lenguaje corporal permite transmitir nuestros sentimientos, actitudes y sensaciones, el cuerpo utiliza un lenguaje muy directo y claro, más universal que el oral, al que acompaña generalmente para matizar y hacer aquel más comprensible. Todos los otros lenguajes (verbal, escrito,...) se desarrollan a partir del lenguaje corporal. Los padres conocen los sentimientos de sus hijos a través de este lenguaje, sabemos cuando un niño está triste, no es necesario que lo diga, sus gestos y movimientos nos lo indican, su energía disminuye, quizás permanece sentado, con la mirada lánguida, su postura corporal encorvada, los hombros caídos, etc.; son signos que nos sirven para interpretar su estado de ánimo.

  Fonte http://www.cosasdelainfancia.com

Mais saúde, mais animais em casa!

Estudo realizado por pesquisadores da Finlândia revela que convívio com cães e gatos amadurece sistema imunológico das crianças.

Mais uma prova de que os cães – e agora os gatos – são os melhores amigos do homem. Pesquisadores da Universidade da Finlândia Oriental, na Finlândia, concluíram que crianças que convivem com animais de estimação são mais saudáveis e apresentam menos problemas de infecção respiratória no primeiro ano de vida do que aquelas que não têm contato com os animais. A pesquisa foi publicada da revista americana Pedriatrics.

A equipe acompanhou o primeiro ano de vida de 397 crianças e concluiu que existem alguns fatores indicativos na redução da incidência de problemas respiratórios, embora nessa idade seja comum o aparecimento deste tipo de doenças.

De acordo com os especialistas, o contato com cães e gatos é benéfico principalmente em relação às infecções de ouvido e a diminuição da quantidade de antibióticos dados aos bebês. Isso porque a convivência, seja ela diária ou com certa frequência, interfere no amadurecimento do sistema imunológico da criança que, exposta a germes na quantidade certa, acaba tendo o fortalecimento do sistema de defesa.

Pesquisadores reforçam ainda que a tal exposição é em relação aos microorganismos ‘do bem’, aqueles responsáveis pela alteração dos micróbios que vivem nos intestino da criança, que fazem com que elas fiquem protegidas de alergias e infecções.


Aurora Aguiar

Fonte: Terra.com.br

TREINAMENTO PARA A SUA FORÇA EMOCIONAL


Quando ouvimos falar de treinamento de força, associamos imediatamente ao levantamento de pesos ou algo a ver com força física. Podemos ainda associar a força ao volume da massa muscular, ou a forças externas da natureza, como o vento, a força das marés ou até mesmo a força da gravidade com a qual lidamos todos os dias. Estamos ainda familiarizados com a força de vontade, mas pouco ou nada com o termo força emocional ou fitness emocional. Sabemos que as emoções são poderosas e exercem uma grande impacto na nossa vida, podendo interferir positivamente ou negativamente nos nossos objetivos ou resultados desejados.

FORÇA EMOCIONAL: UMA MAIS VALIA

Aprender a gerir as emoções é uma competência que em muito nos capacita. Ajuda-nos a tomar melhores decisões, a adequarmo-nos melhor às circunstâncias e a lidar de forma mais eficaz com os outros ou com situações desafiadoras. Alguns de nós somos emocionalmente mais fortes do que outros. A pessoa emocionalmente forte pode lidar eficazmente e funcionalmente melhor com desafios exigentes. Não quer dizer que não sofra, que não sinta o impacto avassalador dos acontecimentos, de todo. Claro que sente e sofre com isso, no entanto, a sua capacidade de manter o equilíbrio emocional, suportado pela sua força emocional, permite que se mantenha funcional, adaptado e adequado na sua vida.
Apesar das pressões da vida por vezes serem esmagadoras e a pessoa emocionalmente forte poder ficar abalada, por ser resistente, consegue aplicar estratégias de autoregulação que lhe permitem recuperar e seguir em frente.  A pessoa emocionalmente forte, não se poupará a esforços para encontrar soluções para as dificuldades que surjam, mantendo-se focada em recuperar o seu equilíbrio emocional.
A pessoa que não seja emocionalmente forte, numa primeira fase também irá ficar abalada, quando confrontada com as pressões e os desafios da vida, mas por não ser tão resistente, por vezes cede, perde o foco no caminho da solução ficando mais vulnerável ao aparecimento de problemas psicológicos como a depressão e ansiedade, pode ainda ceder a drogas e álcool para lidar com as situações incapacitantes, enquanto outras podem tornar-se desesperançadas e desistir.
depressão

O QUE NÃO SE USA ATROFIA

Muitas pessoas investem em livros de auto-ajuda à procura de respostas, enquanto outros procuram os serviços de um psicólogo para encontrar soluções e algumas pessoas participam em seminários de desenvolvimento pessoal. E tudo isto é uma mais valia que certamente ajudará num determinado grau. No entanto, todas estas formas de ajuda só serão potenciadas se a pessoa partir para a ação e exercitar a sua musculatura emocional. O que muitas pessoas não percebem é a regra: “o que não se usa perde-se” que se aplica ao treinamento da força física, mas também deve aplicar-se ao treinamento da força emocional.

DEFINIR OS LIMITES EMOCIONAIS

Não há uma fórmula mágica para conseguir desenvolver a força emocional, porém, vamos examinar porque é importante e as diferentes maneiras em que podemos melhorá-la. O primeiro passo para o treinamento da força emocional é definir os seus limites. Se conseguir definir os seus limites emocionais, identificando como é que quer sentir-se e o que seria necessário para sentir-se dessa forma, pode começar a ter a noção das estratégias a tomar. Por exemplo, se você quer ser tratado com respeito, você deve saber o quanto você está disposto a tolerar e aceitar  determinados comportamentos dos outros. Quando os seus limites são definidos, você ensina aos outros como quer ser tratado e como devem tratá-lo. Através da definição e consciencialização dos seus limites emocionais, você estabelece uma barreira de proteção e fertiliza o terreno para a construção de força emocional.
Ao conhecer os seus limites emocionais, saberá reconhecer quando está a sair desses limites ou quando eles estão a ser ultrapassados por outros. Por exemplo, se você tem o seu conjunto de limites bem definido e estiver a lidar com uma relação doentia onde é desprezado e humilhado, um alerta soará na sua mente lembrando de seus limites e instigando à ação para criar a mudança. Como já referi, reconhecer os limites emocionais, pode ajudá-lo a tomar as medidas necessárias para se proteger. Acresce ainda a possibilidade de ir fortalecendo as suas emoções e construção de auto-respeito.
A definição dos limites emocionais, assim como a capacidade os reconhecer quando estão a ser colocados em causa ajuda-o a ficar motivado para alcançar o que você quer sentir. À medida que for percebendo as novas fronteiras a cada dia que passa, vai estabelecendo um novo conjunto de regras e objetivos para si mesmo. Essas regras e objetivos permitem que se movimente de acordo com isso, agindo e comportando-se de tal forma que nessa interação os sentimentos que você quer sentir surgirão. A musculatura emocional vai-se desenvolvendo até ao ponto em que você terá a energia necessária para lidar com os desafios que surgem na sua vida.
Dica: Determine ou perspetive o que você quer sentir, e saiba o que está disposto a aceitar. Saiba o que está disposto a fazer para começar a sentir-se emocionalmente forte. E lembre-se, defina as suas fronteiras emocionais.

LIVRE-SE DA BAGAGEM EMOCIONAL QUE O TEM TRAVADO

O treinamento de levantamento de pesos ajuda a reduzir o risco de lesões, aumenta a força muscular e permite ao corpo suportar o stress externo (forças externas).  O mesmo acontece com o treinamento da força emocional, você fica mais capacitado e melhor equipado para lidar com as crises que vão surgindo na sua vida, ficando menos vulnerável​​. Um passo importante para o treinamento da força emocional é desprender-se da bagagem emocional negativa, paralisante e depreciativa que você possa ter vindo a transportar ao longo do tempo.
É incrível como a bagagem emocional negativa pode permanecer por largos períodos na nossa vida. É como se nos tivéssemos acostumado e ligado tanto a esse passado que torna-se desconfortável o desapego. Você pode ter tido que suportar um trauma grave em criança ou na vida adulta, sentindo-se culpado ou com vergonha acerca de algum evento passado, ou com raiva ou ressentimento. Por exemplo, você pode ter dificuldade em perdoar a alguém pelo mal-estar que lhe infligiu e ter desenvolvido um muro emocional, impossibilitando amar de novo. O treinamento da força emocional só pode ter lugar quando você se libertar do peso desnecessário que transporta em si mesmo e permitir-se a caminhar sem amarras emocionais.
Para aprofundar este assunto, leia: Como libertar-se das angústias do passado

NÃO SE FUNDA AOS ACONTECIMENTOS TRAUMÁTICOS DO PASSADO

Para facilitar o processo de livrar-se da sua bagagem emocional negativa é importante que não deixe que os acontecimentos traumáticos do passado possam definir quem você é. Não deve fundir-se a esses acontecimentos e muito menos confundir-se com eles ao ponto de identificar os seus traços de personalidade com o sucedido. O passado é passado e deve ser usada como lições para o futuro, mas nunca para bloquear o nosso caminho emocional. Evite definir-se por as coisas menos boas que lhe aconteceram no passado, mesmo que tenha contribuído para isso. Aprenda, perceba o que pode fazer de diferente, ou ao invés o que pode evitar fazer. Não deixe que os acontecimentos negativos e traumáticos o definam enquanto pessoa .
Agora é  hora de pôr um fim à velha forma e preparar-se para a libertação emocional.

CONHEÇA A SUA VERDADE

Embarque na aventura de conhecer o seu verdadeiro eu através da definição do seu sistema de valores, aquilo em que acredita, aquilo que faz de você animado, e como você quer ser percebido. Proponha-se a abrir mão de velhas percepções incapacitantes e paralisantes e torne-se emocionalmente forte. Então, como você sabe se precisa de algum treinamento da força emocional?
Responda às seguintes questões:
  • Você fica facilmente zangado, frustrado ou irritado?
  • Como você se avalia a si mesmo?
  • Você carrega um monte de dúvidas?
  • Você fica consumido por pensamentos pessimistas?
  • Quando surgem dificuldades na sua vida, você enfrenta-as ou vai-se abaixo sob a pressão de não conseguir ultrapassar o problema?
  • Você fica muitas vezes triste, sem saber porquê?
  • Você faz autosabotagem aos objetivos a que se propõe?
  • Você vitimiza-se pelos acontecimentos do passado?
  • Você tem dificuldade em expressar os seu sentimentos, com receio de magoar-se?
  • O seu sentimento de culpa, inibe as suas ações?
A construção de força emocional exige uma combinação de autocontrole, disciplina, animo, determinação, coragem e confiança para aprender a lidar com as suas emoções e fortalecê-las.

APRESENTO ALGUNS COMPONENTES IMPORTANTES DO TREINAMENTO DA FORÇA EMOCIONAL:

Condicionamento mental. Tome decisões conscientes para fortalecer as suas emoções. Passe algum tempo sozinho para refletir sobre o que é importante para si e defina os seus limites. Tente perceber o que quer fazer e como quer sentir-se.
Atividade cardiovascular. Os benefícios da atividade física na saúde são evidentes e têm sido muito divulgados. A boa relação com o corpo, reforçado pela atividade física moderada permite melhorar o seu humor através da libertação de endorfinas (químicos que provocam bem-estar) na corrente sanguínea, e energizam-no.
Expresse as suas emoções no seu circulo de amigos e pessoas de confiança. Isso pode ajudar a aliviar a ansiedade, raiva ou stress. Permite ainda ter a oportunidade de trabalhar e processar os seus sentimentos, assim como ter a oportunidade de ser emocionalmente honesto com quem acha que deve.
No inicio da interação com as outras pessoas estabeleça expetativas baixas até que elas ganhem o seu respeito e confiança. Não quero dizer que não se deve mostrar interessado e empático, nada disso, pelo contrário, claro que deve. Mas por vezes, esquecemo-nos que os outros podem não estar no mesmo registo de vida ou de pensamento que nós. Projetamos expetativas nessas pessoas, que nada tem a ver com a forma como olham o mundo, sendo que depois se o retorno deles não for o esperado por nós, temos uma explosão emocional negativa. As interações com os outros devem ser trabalhadas, em conhecimento e desenvolvimento mútuo. Forjadas em acontecimentos e em interrelações fundadas em fatos e experiência vividas, e não em suposições ou ideais fictícios.
Aprenda a apreciar o que você tem e deixe de concentrar-se demasiado no que você não tem. Por vezes os abalos na autoestima e autoconfiança provêem da comparação exagerada com os outros ou até com aquilo que você gostaria de ter e ainda não tem. Foque-se naquilo que tem, nas suas virtudes, nas sua forças e habilidades. Se percebe que pretende melhorar alguns aspetos de si ou da sua vida, ótimo. Com esses aspetos identificados e aceites proponha-se a fazer algo para se ajudar a si mesmo. Crie sentimentos e estados positivos que possam colocá-lo na posse de energia suficiente para trabalhar em algumas das suas fraquezas sem que se sinta mal com isso.
Abra a sua mente e prepare-se para novas informações. Mesmo que possa sentir-se desconfortável ao sair da sua zona de conforto, empurre-se e proponha-se a fazê-lo. Ao estar a experienciar e a processar nova informação vai criando a oportunidade de treinar a sua musculatura emocional.
Não se permita ser vingativo. Aprenda a aceitar alguns acontecimentos que até possam ter sido injustos e permita que a paz entre na sua vida. Por vezes, ruminar muito no assuntos que nos promovem rancor, raiva e indignação só nos faz reviver as situações uma e outra vez, não ajudando em nada a ultrapassar a situação incomodativa.
Permita que os pensamentos positivos possam substituir a negatividade. A capacidade de ir treinando a substituição dos pensamentos negativos que lhe passam na cabeça por pensamento positivos, permite que também reforce a sua habilidade de perceber até que ponto os sentimentos negativos que suportam a negatividade estão a atrapalhar o foco na procura de soluções e de ações que possam criar bem-estar emocional. Expliquei este assunto no artigo: Abandone a negatividade, acabe com o diálogo auto-crítico.
Tenha precaução na ligação que possa ter com algumas pessoas tóxicas que possam interferir na sua vida. Se algumas pessoas não tiverem nada de positivo para oferecer não deve haver espaço na sua vida para elas.
Eduque-se, aprenda e desenvolva-se nas áreas que pretende. Isso permite remover algumas dúvidas que possa ter acerca de si mesmo e construir autoconfiança. Se você for persistente e insistir no seu desenvolvimento pessoal, com o tempo tornar-se-á mais forte emocionalmente. Lembre-se, a repetição é a chave para construir a sua força emocional. Comece hoje mesmo o treinamento para a sua força emocional.
“Não vamos esquecer que as emoções são os grandes capitães de nossas vidas, nós obedecemo-lhes sem nos apercebermos.” – Vincent Van Gogh
“Assuma o controle das suas emoções mais consistentes  e comece conscientemente e deliberadamente a remodelar a sua experiência diária de vida.” – Anthony Robbins

mulher contente

DESENVOLVIMENTO DA CONSCIÊNCIA EMOCIONAL

As emoções são a essência que dão sentido à vida, permite-nos sentir o mundo, entender-nos e a relacionar-nos com os outros. Quando estamos conscientes e conseguimos regular as nossas emoções, conseguimos pensar de forma clara e criativa, gerir o stress e enfrentar os desafios, comunicamos melhor com os outros, expressamos confiança e empatia. Mas, se ao invés perdemos o equilíbrio das nossas emoções, ficamos confusos, ficamos com o raciocínio nublado e por vezes caímos num ciclo de negatividade.

O QUE É A CONSCIÊNCIA EMOCIONAL?

Quer estejamos cientes ou não, as emoções são uma presença constante na nossa vida, influenciando tudo o que fazemos. Ter consciência emocional significa saber o que você está sentindo e porquê. É a capacidade de identificar e expressar o que você está sentindo a cada momento entendendo a conexão entre os seus sentimentos e as suas ações. A consciência emocional também permite que você consiga entender o que os outros estão sentindo e simpatizar ou anemizar com eles.
Consciência emocional envolve duas habilidades básicas:
  • A capacidade de reconhecer a sua experiência emocional, momento a momento.
  • A capacidade de lidar com todas as suas emoções, sem ficar angustiado.

PORQUE É A CONSCIÊNCIA EMOCIONAL IMPORTANTE?

Você já se sentiu deprimido, com ansiedade ou raiva? Você costuma agir impulsivamente, fazendo ou dizendo coisas que sabe que não deveria, arrependendo-se depois? Você já se sentiu desconectado dos seus sentimentos ou emocionalmente vazio? Você tem dificuldade em comunicar com os outros e formar ligações significativas? Você sente que a sua vida é como uma montanha-russa emocional, vivendo os extremos dos seus sentimentos e sem equilíbrio emocional?
Se respondeu afirmativamente a algumas das questões anteriores, é porque você está a passar ou já terá passado por uma interferência na sua consciência emocional.
As nossas emoções, e não os nossos pensamentos, motivam-nos. Sem uma consciência do que você está sentindo, é impossível compreender o seu próprio comportamento, regular apropriadamente as suas emoções e ações, e “ler”  com precisão os desejos e necessidades dos outros.
A consciência emocional ajuda a:
  • Reconhecer quem você é: o que você gosta, o que você não gosta, e o que você precisa.
  • Entender os outros e ter empatia com eles
  • Comunicar-se com clareza e eficácia
  • Tomar decisões sábias baseadas nas coisas que são mais importantes para você
  • Ficar motivado e tomar medidas para cumprir as suas metas
  • Construir relacionamentos fortes, saudáveis e gratificantes

COMO DESENVOLVER A CONSCIÊNCIA EMOCIONAL PODE TRAZER EQUILÍBRIO PARA A SUA VIDA?

“A minha vida é uma montanha russa emocional!”
Por vezes a vida tem altos altos e baixos, mas não temos necessariamente que colocar tudo em causa quando estamos a atravessar uma fase menos boa. Ter consciência das suas emoções, aceitá-las, saber que elas podem ajudá-lo a perceber o mundo pode promover a autoregulaçãoemocional e consequentemente caminhar na vida de forma mais equilibrada
“Eu sempre lamento o que eu digo ou faço.”
Aprenda que apesar de por vezes lamentarmos ter determinado tipo de comportamentos que se comprovam como insatisfatórios, quer para nós quer para os outros, nada invalida que possamos perceber, que gatilhos accionamos para perder o controlo dos nossos pensamentos. Expliquei este assunto no artigo: A sua atitude é uma decisão, a importância de ter uma atitude mental positiva.
Eu não tenho energia.”
Por vezes podemos sentir-nos em baixo. Quando você não tem nenhum problema físico, e ainda assim fica sem vontade para fazer o quer que seja, se a sua vontade paralisou, pode estar a ficar deprimido. Quando você está emocionalmente mais consciente, pode conseguir entrar em sintonia com estes sentimentos, percebê-los e desapegar-se deles,  permitindo fazer uma mudança para melhor.
“As pessoas que eu estou interessado não têm interesse ​​em mim.”
Alguns relacionamentos são difíceis, mas você consegue criar laços duradouros quando se torna emocionalmente mais consciente. Isto acontece porque tem uma noção maior e mais clara do que os outros sentem, como reagem a determinados estados seus, e que acima de tudo também comentem erros de juízo, e você pode perceber isso sem que necessariamente fique constrangido ou melindrado.
“Eu não consigo chegar mais à frente, mesmo sendo inteligente e trabalhando duro.”
Às vezes, chegar-se mais à frente na sua carreira, ou obter sucesso num projeto ou desafio, exige mais do que ser-se inteligente ou esforçar-se. Tornar-se emocionalmente mais consciente é um requisito que pode ajudá-lo a comunicar melhor de forma a que os outros percebam a sua posição.
“As pessoas dizem que sou demasiado frio, por vezes me chama de “robô.”
Querer controlar as emoções é um pau de dois bicos. Pode funcionar, mas na grande maioria das vezes vira-se contra nós. Se você se fechou em si mesmo,  não mostrando qualquer emoção, pode ser perigoso. Se for o caso, você beneficiará se aprender a expressar abertamente as suas emoções, sempre que isso possa ajudar a integrá-lo e a relacionar-se de forma saudável com os outros.

AVALIAR A SUA CONSCIÊNCIA EMOCIONAL

Uma elevada consciência emocional é a base que permite a construção da saúde emocional, boa comunicação e relacionamentos sólidos. Muitas pessoas estão pouco familiarizadas com a experiência da consciência emocional. É surpreendente como algumas pessoas podem facilmente responder à pergunta: “O que você está experimentando emocionalmente?”
Qual é o seu nível de consciência emocional?
  • Você pode tolerar sentimentos fortes, incluindo raiva, tristeza, medo, nojo e alegria?
  • Você sente as suas emoções no seu corpo? Se você está triste ou em baixo, experimenta sensações físicas, como por exemplo no seu estômago e no peito?
  • Você toma grande parte das decisões baseadas em “instintos” ou usa as suas emoções para guiar as suas decisões? Quando os sinais do seu corpo lhe transmitem que algo está errado (aperto no estômago, tensão muscular, nó na garganta) você confia neles?
  • Você está satisfeito com todas as suas emoções? Você permite-se sentir raiva, tristeza ou medo sem julgar ou tentar suprimi-los?
  • Você presta atenção à sua experiência a cada mudança emocional? Você percebe uma variedade de emoções durante todo o dia ou está preso em apenas uma ou duas emoções?
  • Você consegue falar confortavelmente sobre as suas emoções? Você comunica os seus sentimentos honestamente?
  • Você sente que, em geral, os outros entendem e simpatizam com os seus sentimentos? Você está satisfeito com os outros sabendo das suas emoções?
  • Você é sensível às emoções dos outros? É relativamente fácil para você perceber o que as outras pessoas estão sentindo e colocar-se no lugar delas?
Se você não respondeu “normalmente” ou mesmo “às vezes” para a maioria dessas perguntas, não fique preocupado, certamente não está sozinho. A maioria das pessoas não estão emocionalmente conscientes, mas você pode aprender a estar, mesmo que tenha vindo a evitar alguns dos seus sentimentos. Ao aprender a reconhecer, e lidar com as suas emoções, você vai desfrutar de maior felicidade e saúde emocional, bem como melhorar os relacionamentos com os outros.

QUANDO NÃO CONSEGUIMOS LIDAR COM O STRESS, AS EMOÇÕES PODEM ESMAGAR-NOS

Provavelmente você terá muitas dificuldades em gerir as suas emoções se não souber como gerir o stress. As emoções são imprevisíveis, fluídas e temporárias. Nós nunca temos plena certeza das nossas respostas emocionais, e quando o stress se faz sentir, nem sempre temos tempo ou oportunidade de restabelecer o equilíbrio emocional, como por exemplo, sair para fazer uma corrida, ou tomar um banho quente de espuma . O que você precisa são ferramentas psicológicas que permitam saber lidar com o stress de maneira rápida e no momento presente.
Dica: A consciência emocional depende de sua habilidade de rapidamente conseguir aliviar o stress.
A consciência emocional requer a capacidade de saber lidar com o stress, em tempo útil. A capacidade de rapidamente reduzir o stress permite com segurança enfrentar as emoções fortes, de forma confiante e tendo um elevado grau de certeza de que você será capaz de manter a calma e o controle, mesmo quando algo perturbador acontece. Assim que saiba como acalmar-se quando começar a sentir-se angustiado, você pode conseguir explorar as emoções que parecem ser desagradáveis ​​ou assustadores.
Para aprofundar o assunto, leia: Descubra o poder dos sentimentos negativos

EMOÇÃO: UMA FACA DE DOIS GUMES

A emoção é uma faca de dois gumes que se destina a ajudar, mas também pode prejudicar. Se você é uma pessoa que não sabe lidar com as suas emoções, ou se vive com uma pessoa que não sabe fazê-lo, pode ter vindo a experienciar sentimentos que podem parecer assustadores e esmagadores. O medo e impotência, são sentimentos que nos podem causar paralisia nas nossas ações, deixamos de agir,  ou desconectamo-nos do mundo, inibindo a capacidade de pensar racionalmente e levando a que possamos dizer e fazer coisas das quais nos possamos arrepender mais tarde.
Muitos comportamentos de dependência e comportamentos não desejados ou inadequados estão enraizados na incapacidade de atender às situações emocionalmente stressantes.
Formas comuns (desvantajosas) de controlar ou evitar as emoções:
  • Distrair-se com pensamentos obsessivos, fantasias escapistas, entretenimento fútil, e comportamentos de dependência, a fim de evitar as emoções que teme ou que não gosta. Assistar à televisão durante horas, jogar jogos de computador e navegar na Internet são formas comuns (prejudiciais) evitarmos lidar com os nossos sentimentos.
  • Colar-se a uma resposta emocional que você se sinta confortável, não importa a exigência ou necessidade da situação. Por exemplo, verbalizar constantemente piadas para encobrir algumas inseguranças ou ficar com raiva o tempo todo para evitar a sensação de medo e tristeza.
  • Evitar as emoções intensas. Se você se sentir angustiando e detroçado pelas suas emoções, você pode lidar com isso fechando-se em si mesmo. Você pode sentir-se completamente desconectada das suas emoções, ou preferir evitar ter determinados sentimentos.
O lado oculto (por vezes vantajoso)  das emoções desagradáveis:
  • A raiva pode ser tanto incapacitadora como reparadora. Se você está fora de controle, a sua raiva pode colocar os outros em perigo ou a si mesmo. Mas a raiva também pode proteger e preservar a vida. A raiva é uma emoção com muita energia que pode ser usado para salvar a vida através da mobilização de todo o organismo. Ou pode ainda transformar-se em determinação nos inspirar à ação criativa.
  • A tristeza pode levar à depressão, mas também pode promover o equilíbrio emocional. O sentimento de tristeza é uma chamada de atenção para algo que não está bem na nossa vida. Normalmente desacelera-nos, faz-nos parar, e eventualmente aceitar o que estamos experimentando emocionalmente. A tristeza pode despertar-nos para a importãncia das coisas, e porque motivo ficamos em baixo. pode ajudar-nos a perceber o que valorizamos e porque razão devemos fazer coisas para voltarmos a sentir-nos bem. Expliquei este assunto no artigo: Tristeza, qual o seu propósito?
  • O medo pode ser debilitante, mas também provocar reações salva-vidas que nos protegem do mal ou até promover os nossos objetivos. O medo é uma emoção profundamente forte, podendo encaminhar-nos para a raiva ou para a depressão. O medo avassalador pode ser uma barreira que nos separa dos outros, ou que nos impede de nos propormos a desafios por receio do fracasso, mas o medo também sustenta a vida pela sinalização do perigo e ou pela forte disponibilização de energia que pode ser transforamda em algo muito bom pela ação da coragem. Expliquei este assunto nos artigos: Medo, livre-se dessa sensação incapacitante e Aproveite o seu medo para atingir os objetivos desejados.
A saber: Evitando as emoções que não gostamos, distanciamo-nos das emoções prazerosas.
Quando nos desconectamos das emoções que não gostamos (as emoções que achamos assustadoras e avassaladoras) corremos o risco de automaticamente afetarmos emoções intensamente positivas como a alegria, que nos equilibram e sustentam em tempos difíceis e desafiadoras. Podemos superar a perda e grandes desafios, mas apenas se mantivermos a nossa capacidade de sentir alegria. As emoções alegres e que nos fazem sentir bem, permitem relembrar-nos que quando enfrentamos tempos difíceis, a vida vale a pena e pode ser maravilhosa, assim como terrível.
mulher triste

ACEITE TODAS AS SUAS EMOÇÕES

Se você nunca aprendeu a lidar com o stress, ou não sabe lidar com pensamentos e sentimentos negativos, ou não sabe lidar com a ansiedade,  ou não saber lidar com a depressão, a ideia de reconectar-se e aceitar as emoções desagradáveis ​​pode ser assustador. Mas se é o seu caso, se sente dificuldade em lidar com algumas destas coisas, está a tempo e tem agora a oportunidade de aprender a lidar com segurança com as suas experiências emocionais. Você pode mudar a forma de experienciar e responder às suas emoções.
O processo de sensibilização emocional envolve reconexão com todas as suas emoções nucleares, incluindo raiva, tristeza, medo, nojo, surpresa e alegria através de um processo de autoaceitação.

AO INICIAR ESTE PROCESSO, MANTENHA OS SEGUINTES FATOS EM MENTE:

As emoções vão e vêm rapidamente, se você deixar. Você pode ter a ideia  que uma vez que se reconecte e aceite as emoções que está evitando, vai ser preso com elas para sempre, mas que não é assim. Se não ficar obcecado com as suas emoções (normalmente as negativas), mesmo os sentimentos mais dolorosos e difíceis tendem a diminuir e a perder o poder de controlar a nossa atenção.
Quando os nossos sentimentos são libertados, as emoções nucleares de raiva, tristeza, medo e alegria vêm e vão rapidamente. Durante todo o dia, você vai ver, ler ou ouvir algo que momentaneamente desencadeia um forte sentimento de algum tipo. Mas se você não ficar demasiado apegado e não se focar apenas nesse sentimento (normalmente negativo), uma emoção diferente em breve tomará o seu lugar. Será tanto mais assim, quanto mais você acreditar que tem capacidade para focar a sua atenção em algo que pode promover um sentimento mais positivo.
A técnica é: Substituir intencionalmente um sentimento negativo e incomodativo por outro que possamos preferir. O que não deve fazer, é lutar contra o sentimento que o atrapalha, mas sim aceitá-lo enquanto experiência no seu corpo, e depois fazer coisas para substitui-lo por um mais agradável. Certamente estará a trabalhar no desenvolvimento da sua força emocional, e consequentemente a treiná-la.
O seu corpo fornece-lhe pistas acerca das suas emoções. As nossas emoções estão estreitamente alinhadas com as sensações físicas sentidas nos nossos corpos. Quando você experimenta uma emoção forte, você provavelmente também sente isso em algum lugar no seu corpo. Ao prestar atenção a essas sensações físicas, você pode entender melhor as suas emoções. Por exemplo, se você sente um aperto no seu estômago  cada vez que  passa algum tempo com uma pessoa especial, você pode concluir (através de uma apreciação errada) que sente-se desconfortável na presença dela, o que na verdade é falso. Expliquei este assunto no final do artigo:Honestidade emocional, uma mais valia para si e seus relacionamentos.
Com exceção de uma dor de cabeça, as sensações físicas são geralmente sentidas em algum lugar abaixo do seu pescoço. Os exemplos incluem:
  • Sensações no seu estômago
  • Tensão nos seus músculos
  • Instintos subtis para mover partes do seu corpo
  • Vislumbres ou “sentimentos viscerais”
Você não tem que escolher entre pensar e sentir. Através do desenvolvimento da consciência emocional, você pode conseguir tirar proveito de ambos, complementando a informação ao seu dispor para intencionalmente decidir que ações tomar. Você saberá o que está sentindo sem ter que pensar demasiado sobre isso e será ainda capaz de usar esses sinais emocionais para entender o que realmente está acontecendo numa situação e agir em conformidade. O objetivo é encontrar um equilíbrio entre o seu intelecto (capacidade de raciocínio) e as suas emoções. O fato é que a consciência emocional irá ajudá-lo a estabelecer limites saudáveis, comunicar-se bem com os outros, prever (até um determinado ponto) o que os outros vão fazer, e tomar melhores decisões.
A consciência emocional é uma habilidade que você pode aprender. A consciência emocional é uma habilidade, o que significa que, com paciência e prática, pode ser aprendida em qualquer momento da vida. Você desenvolve a consciência emocional, aprendendo a entrar em contato com as emoções negativas e incapacitantes e a lidar com os sentimentos desconfortáveis. Quando você sabe como fazer isso, pode tomar decisões deliberadas e ficar no controle, ao invés de tornar-se sobrecarregado, mesmo em situações muito difíceis.

CONCLUINDO

Os nossos sentimentos muitas vezes parecem-se com um cavalo selvagem, tomam conta de nós e julgamos não haver nada que as acalme, ficam desenfreadas. A única maneira de “domesticar” esses sentimentos é aprender a lidar com eles, enquanto toma consciência do seu impacto na forma como pensa e age.
A sensibilização emocional requer prática. Tal como no desenvolvimento da massa muscular na academia, quanto mais você exercitar as suas emoções, mais “músculo emocional” irá desenvolver. Certamente concordará que não se tornaria num fisioculturista após uma ida ao ginásio. Quanto mais você praticar consistentemente, maior serão as mudanças que vai experimentar na maneira de sentir, pensar e agir.
Não fuja das suas emoções  e sentimentos. Elas são suas, manifestam-se em si, fornecem-lhe informação. É essa informação que tem de saber interpretar e perceber, e a partir daí construir respostas que possam ser adequadas às situações que enfrenta.